sábado, 16 de julho de 2011

Vamos recomeçar?


Recomeçar é preciso...


Você já falou essa frase para alguém? Ok, eu sei... É chato, requer uma dose de boa vontade, humildade, superação de qualquer orgulho besta... Ah! E nem sempre vale a pena, não há garantias de que o recomeço será melhor do que o que havia antes...


Veja o detalhe do ponto plano.

 Mesmo assim há momentos em que recomeçar é a única saída possível.

 

Algumas vezes já estive nessa situação limite: de um lado o abismo do fim de algo, a possibilidade do não-ser, e, do outro, duas palavrinhas mágicas, vindas sei lá de onde, das suas entranhas mais profundas: “vamos recomeçar?”.


O ponto plano quase pronto. 

 Não sei vocês, mas eu só desisto de algo quando eu me desesperanço. Assim, começar de novo, mais que dar uma outra chance a alguém ou a uma relação, por exemplo, é se re-esperançar. E isso é bom, não é verdade?


Mesmo em áreas maiores, o ponto plano fica bem, concordam?

Eu mostrei aqui o início do projeto da nossa árvore genealógica, mais uma peça craft para a Memorabilia. Informei que havia começado o trabalho num cânhamo bege bem grosso, lindo, lindo...


Quase pronto!

Mas a primeira besteira que fiz foi transpor o gráfico usando um carbono amarelo. Pesadelo!!! A tinta amarela começou a manchar todo o tecido e as linhas fininhas do gráfico começaram a se misturar até que ficou impossível distingui-las. Bordar à noite? Nem pensar!


Ufa! Agora, com os nomes bordados...

Aí, juntei os caquinhos, respirei fundo e disse pra mim mesma: “Vamos recomeçar?”.

 

Escolhi um novo tecido, a sobra de um linho misto que usei para fazer a Alice, a Lebre. E um carbono escuro, evidentemente...


A "folhinha" que nasceu primeiro, o Gui

Acho que não deu para visualizar direito, no post anterior, que a nossa árvore tinha duas folhinhas nas quais escrevi o nome dos meninos e uma outra folhinha na qual não soube o que escrever.


E a segunda folhinha, o Rafa...

Vi na internet que algumas pessoas usam para mostrar a data do casamento, mas acho a metáfora dos galhos mais apropriada para a prole. Assim, no novo começo, a árvore tem apenas as duas folhas maiores.


Prontinho, em primeira mão, mas ainda amassado.

O que acharam? Vocês já tiveram que recomeçar alguma vez? Foi melhor ou pior?



7 comentários:

Get Crafty!!! disse...

Eu achei muito lindo! A idéia é maravilhosa amiga, parabéns!

Gislene Ellery disse...

Ficou maravilhoso! Esse formato de arvore genealógica é sensacional. E acho que esse linho não deixou nada a desajar em relação ou cânhamo, viu? Bjo!

♥ Nia disse...

Perfeito! :)
Adorei as cores, ficaram óptimas! Já para não falar de novo o quanto adorei o conceito deste bordado, está aqui algo que com certeza eu farei no futuro ;)

Já recomecei algo sim, ainda há muito pouco tempo refiz o meu Photobooth snowmen porque tive de lhe mudar as cores para algo mais a gosto ;) Vale sempre a pena recomeçar, melhorar o que está e não contentar-mo-nos com o que ficou heheheh

Eri disse...

Eu também só desisto de algo quando me "desesperanço" (Essa palavra é linda). E às vzes, ainda fico num vai e ve desgrgaçado de esperança e desesperança até perceber lá no fim que não dá mesmo. Recomeçar, Simone, tenho percebido, que venho fazendo quase todos os dias. Beijos.

Rita disse...

Ficou tão lindo!! Adorei! E as cores ficaram lindissimas! Aii tb quero bordar assim!:p beijinhos

Juliana Cristina disse...

Boa Noite.

Gostei muito das idéias de seu trabalho. Muito legal.
Também tenho um blog voltado para ponto cruz: artjullysmi.blogspot.com e gostaria de contar com a sua visita e participação.
Um abraço!

Filipa disse...

Adorei! No meu blog tenho uma frase sobre recomeçar:
http://do-direito.blogspot.com/2011/12/inspiro-me.html

Adoro esta frase e sigo a minha vida a pensar assim.

Adorava bordar um tronco como este, podes d«me dar uma mãozinha?

Beijinhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...