sábado, 9 de julho de 2011

Customização: uma saia rodada para uma mini-rendeira


Essa é a Clarice, minha sobrinha, no dia de sua apresentação na escola. Não está linda?? 


Uma das minhas primeiras recordações craft são os vestidinhos que eu costurava para as minhas bonecas, muito antes da “customização” virar uma coisa “in”. Minha mãe varava madrugadas na máquina de costura e eu brincava de bonecas enquanto assistia o Mágico de Oz ou E o Vento Levou na Sessão Coruja.

 

Ambos os filmes me inspiram muito e trazem boas recordações até hoje... No Mágico de Oz, a frase de Dorothy ainda ressoa na minha cabeça sempre que viajo: “Não há lugar como o nosso lar...”. No E o Vento Levou, a idéia de um vestido feito das cortinas de veludo da sala é tão revolucionária! Levou ao extremo a idéia de customizar, não?

 

Cresci entre linhas e tecidos por que minha mãe sempre curtiu o mundo do artesanato e, depois, isso foi reforçado quando meu pai resolveu ter um armarinho.


Detalhe da parte do vestido que foi cortado: devia ter uns 200 metros de tule!

Aí, minha irmã me liga perguntando se seria muito difícil para mim customizar um vestido junino da Bibita, minha sobrinha. É que, para a apresentação da Festa de São João da escola, precisava ser uma saia e não um vestido inteiriço.

 

Da proprietária da futura peça havia apenas um pedido: “Quero bem curta e bem rodada!” lol. Dá prá não atender???

 

Nos reunimos um dia antes da festa. Em meio a tantos tecidos, fitas, tesoura, com a máquina de costura sobre a mesa da sala, meio que fui transportada de volta à minha infância...


A minha irmã retirou a renda de uma das mangas para fazer flores.

Toca a cortar o vestido em dois e extrair uma boa parte da saia, para que esta atendesse aos desejos da cliente. Um monte de filó para dar mais volume e um cós foram costurados, além de arreatas para que um laço de fita branca fizesse às vezes de cinto. Enquanto eu cuidava da saia, minha irmã fez flores do tecido e da renda de uma das mangas que sobrou, para enfeitar a blusinha branca.

 

Por último, inventamos uma mini-almofada de rendeira, com um travesseirinho enrolado como um rocambole, coberto por tecido branco e rematado nas laterais como um fuxico. A minha irmã acrescentou uma toalhinha de renda em cima e conseguiu imitar os bilros, que são uns palitinhos nos quais a linha que será usada para criar a renda fica enrolada.


A almofadinha da rendeira, com os bilros que a minha irmã fez com sobras do tecido da saia.


A roupa não agradou muito à exigente cliente no primeiro momento, mas, depois do sucesso da festa, ela me disse que tinha gostado. Bom, é mesmo difícil acertar de primeira... lol


Tenham um excelente fim de semana!


3 comentários:

Atelier Caseiro disse...

Não agradou de primeira a sobrinha? Pois eu achei tudo tão fofo e de grande talento. Gostei 'de cara'. Parabéns!

A Casca da Cigarra disse...

Ter pai dono de armarinho só perde para ter pai sorveteiro...eh menina de sorte! Eu achei a saia um primor e a Bibita uma fofa. Quanto aos filmes eu compartilho com você a paixão por estes clássicos e quero te sugerir um post que escrevi para o bananacraft antes de ter meu blog, no qual rememoro "cenas craft" em diversos filmes e livros( aqui: http://www.bananacraft.com/blog/coisasdemenina/2009/01/27/craft-na-literatura-e-no-cinema/). Beijobeijo!

♥ Nia disse...

Adorei o traje!!! :D
Ficou tão giro! Todo o conjunto, o bilro então =) super fofo, um toque de mestre ;) Fazes uma saia bem curta e bem rodada para mim também??? hahahahah LOLLADA :D

E agora quase ao final do dia mas venho te deixar os parabéns! =)))
Espero que o teu dia tenha sido muito especial, recheado de alegrias e rodeadas pela familia e amigos queridos :) Para esta nova etapa que começas, desejo-te muita felicidade e que todos os teus sonhos e objectivos se concretizem! :D Um abraço muitoooooooooooo grande para ti :)

PS: a minha proxima carta segue registada!! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...