quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A árvore da Cigarra




Sabe aquelas pessoas que a gente admira, que nos inspiram com seus gestos e forma de ver o mundo? Pois é, a Andréa é assim para mim... Durante 2011 estreitamos os laços originados na internet e fiquei com vontade de mandar algo especial para ela nesse Natal. Mas o quê?!

Para decidir sobre um presente para alguém, normalmente procuro a característica que se destaca e, no caso da Andréa, fui indelevelmente marcada por este texto.

Mais que uma história de superação de dificuldades, me tocou a fortaleza dos laços familiares e como isto pode ser decisivo para tudo o mais. Estava resolvido: meu presente deveria ser algo que representasse o amor na família e, ainda, tivesse algo a ver com o Linhas.

Optei por bordar uma árvore genealógica para a família dela, como a que bordei para mim e mostrei aqui.




Usei o mesmo tecido, mas fiz algumas alterações que resultaram (perdoem o auto-elogio...) num bordado mais bonito: os nomes do casal, ao centro, bordei em bordô; os nomes dos filhos bordei em um tom de verde um tantinho mais escuro que o das folhas. No contexto geral, a árvore já seria mais bonita só por ter mais “galhos”! lol Porém, acho que esses outros detalhes contribuíram para um conjunto mais harmônico.




Bordada quase que inteiramente num preguiçoso domingo em que ficamos em casa, não resisti em mostrar a bagunça da nossa cama e a árvore ainda em produção. A colcha da cama, com delicadas e coloridas flores, eu mostrei quando o blog ainda era bebê, lembram? Se não, veja aqui este trabalho, que praticamente me ajudou a criar este espaço.




Enquanto eu tirava as fotos, meu marido reclamava: “Mas você vai mostrar o quarto assim, todo bagunçado?!” Entre risos eu pensava: “É, amigos, não tem nada de glamour, só tem muito é amor...”




Assim, para a família da Andréa e para a sua eu desejo um Ano Novo cheio de domingos preguiçosos, fazendo o que você gosta com quem você mais ama. Feliz 2012!


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Toalha em Ponto Russo para a Bia





A Bia é a melhor amiga do Rafael, eles brincam – e brigam! – juntos o tempo todo. Para o presente de Natal dela, decidi fazer uma toalha de banho rosa e resgatar a minha agulha para ponto russo, que há muito andava abandonada. A escolha do ponto russo foi proposital por ser extremamente adequado para toalhas: o toque do bordado é bastante agradável e apropriado para as crianças.

Vocês conhecem o ponto russo? Ele demanda uma agulhinha especial, que comprei há alguns anos, e que você pode encontrar facilmente na internet. É muito fácil de usar e, dependendo do tamanho do gráfico, seu trabalho ficará pronto rapidamente.




Desenhei as letras do nome da Bia no avesso da barra para pintar de uma toalha (a barra de étamine é muito vazada para essa técnica). O bordado é feito pelo avesso mesmo e pressupõe o preenchimento do espaço com o movimento de “costura” da agulha no tecido.




O lado direito vai ficando com o aspecto de tapeçaria: “fofinho, fofinho”, como diz o Rafinha.


Vejam o detalhe do avesso.

Depois de tudo preenchido, basta uma camada de termolina na parte de trás, para evitar que a linha venha a se soltar. (Uma observação: penso que isso pode ser opcional, porque eu fiz umas toalhas para mim há anos e nunca passei a termolina. Mesmo com as lavagens freqüentes à máquina, os bordados continuam perfeitos).


 

Essa técnica não é adequada para gráficos muito detalhados e funciona melhor com temas maiores. Espero que tenham gostado do resultado!


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

As almofadas viajantes e uma mente sem memória


 

Preciso confessar uma coisa para vocês... Eu esqueci o aniversário do blog... Duas vezes!!!! Na verdade, é mesmo difícil acreditar que o blog já tem 31 meses de existência... Passou tão rápido!




Eu tinha planejado fazer um giveaway para comemorar, mas, diante da tal amnésia, isso pareceu meio sem sentido... Ao mesmo tempo, como agradecer apropriadamente às pessoas maravilhosas que têm me acompanhado, incentivado e ensinado tanto quase que diariamente? Algumas desde os primeiros posts, outras somadas ao longo do caminho, mas não menos importantes...

Assim, esse ano, resolvi fazer algo de diferente: coisinhas especiais que têm a ver com a história do blog.






Os presentes que viajaram são cópias da almofada que mostrei neste post. Esse bordado virou um pequeno hit tanto no blog quanto no Flickr. Eu o encontrei numa coletânea da Marie Claire Ideés e o primeiro foi executado com a linha verdade matizada.




Para ganhar um pouco de tempo, já que o bordado é fácil, porém não é pequeno, comprei capas prontas de almofadas, passei o risco (que mandei aumentar) e executei o bordado direto na capa. O avesso, como podem imaginar, não ficou perfeito nem poderá ser recoberto por outro tecido, infelizmente... Espero que as amigas presenteadas me perdoem esses detalhes... lol






A capa cinza escuro ganhou o bordado clarinho, a capa vermelha ficou ton-sur-ton, a capa marfim ganhou surreais galhos e folhas azul avatar. Continua em produção uma quarta capa listada, com o bordado em um dos seus tons mais escuros.

Gostaram?


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Da arte de personalizar embalagens


 

Eu já contei o quanto gosto de envelopes e cartões, não? Talvez eu tenha esquecido de comentar que adoro embalagens originais! Lol A net está cheia de exemplos maravilhosos, cada um mais lindo que o outro.

Para mim, quando mais simples - e usando materiais que normalmente não usaríamos numa embalagem – melhor! Assim, guardo papéis diferentes, plásticos, fitas, flores artificiais, tudo!, para fazer minhas embalagens.

Hoje, quero apresentar dois exemplos recentes que fiz inspirada pelo site da Martha Stewart: o primeiro, para o caderno da Eri (mostrado neste post), e o segundo, para o livro da Karla (mostrado aqui).




Embalei o caderno da Eri numa folha de papel de seda branco, porém, como ficou um pouco transparente, cortei um retângulo de um plástico texturizado lindo que veio embalando a última TV que compramos. Esse plástico ajudou a encobrir a patch colagem e deu um brilho discreto. Amarrei tudo com a indefectível linha matizada que representa o Blog.




O presente da Karla enrolei primeiro com um papel crepom cinza. Por cima, uma tira de papel de seda vermelho (adoro essa combinação!). Depois de amarrar com a linha matizada, acrescentei uma flor de fuxico com crochê, que ganhei de uma tia. Como a combinação de cinza e vermelho poderia ficar um pouco fria, a flor deixou o presente mais caloroso, concordam?




E vocês? Personalizam suas embalagens também?


sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Cartões de Natal personalizados


 

Há alguns dias, fui numa gráfica perto de casa e mandei imprimir alguns papéis de carta e cartões personalizados. Apesar da atividade errática dos correios ultimamente e sem desmerecer todo o poder das comunicações eletrônicas, do qual me beneficio imensamente, receber uma carta à moda antiga tem seu valor, concordam? A ansiedade sobre o conteúdo, a textura do papel, o ato de abrir o envelope são experiências únicas.




Ok, até aí tudo bem, nada demais. Mas qual seria o meu toque handmade? Bota a cachola para funcionar, pensa, pensa, pensa, borda, borda, borda ( *pensando com as mãos e o coração* ) e voilá: temos cartões personalizados com pequenos bordadinhos em envelopes vestidos de Natal!





Como fazer os envelopes eu mostrei bem aqui. Os bordados eu já tinha apresentado aqui.



A montagem não consumiu mais que alguns minutos. Após os cartões feitos, colei os bordados à entretela termocolante com o auxílio do ferro de passar. Depois de frios, recortei cada um e retirei a parte lisa do papel que ficou no avesso de cada bordado. Cada um virou um adesivo que foi, simplesmente, fixado ao cartão. Fácil demais, não?





Achei o efeito bem interessante. Será que estes cartõezinhos angariarão sorrisos durante suas chegadas?? Tomara que sim...


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

“Don’t sweat the small stuff” e um marca páginas diferente


 

Como alguns sabem, eu estudo inglês e adoro. Durante um tempo, tentei manter uma versão em inglês do Linhas, porém, cada vez que eu via um dos meus  inúmeros erros, morria de vergonha dos leitores estrangeiros! lol Por fim, desisti... Vou estudar mais um pouco e, quem sabe, mais confiante, volto a postar em inglês. Erros ocorrerão de qualquer maneira, eu sei...

Nesse processo de aprender inglês, tive a sorte de conhecer a Karla, que acabou por tornar-se uma amiga muito querida. Temos vários pontos em comum: somos cancerianas, terminamos o mestrado praticamente ao mesmo tempo e adoramos séries de TV.




A Karla havia me falado algumas vezes sobre o livro “Don’t sweat the small stuff” e sobre o quanto a sua mensagem era positiva. Todos nós, em alguma medida, às vezes nos vemos presos pela autocomiseração, pela preocupação com detalhes tolos ou problemas menores. Se eu tivesse lido o livro, ele poderia dar um bom post para o “Linhas Escritas”...

Ocorre que eu vasculhei os sebos na internet em busca deste livro... para a Karla! Ele foi o meu presente de Natal para ela e representa um agradecimento especial pela nossa convivência durante este ano, seu empenho em compartilhar conhecimentos comigo.

Mas, opa! Nada handmade??? Impossível!!! Como eu vinha admirando há tempos com um marca-páginas diferente que eu vira na internet, resolvi arriscar fazer um para acompanhar o livro.




Usei uma fita de cetim vermelha com poás brancos. Fiz pregas na fita, alinhavando-as. Em seguida, preguei, à mão, um pedaço de elástico branco, tomando o cuidado de medir o tamanho do livro. Sobre o alinhavo das pregas, costurei pequenas miçangas vermelhas, para dar um brilhinho.




Achei o resultado bem feminino. E vocês?


sábado, 3 de dezembro de 2011

Uma guirlanda “bagunçada”


Visão da porta da frente com a guirlanda


Bem, o fato é que, a despeito de, no Nordeste do Brasil, as coroas de flores serem usadas para os funerais, eu as adoro bem ao estilo americano e europeu... lol Nada da tristeza da morte e tudo da alegria e da criatividade que vejo em milhares de exemplos diferentes na net (há guirlandas para todas as estações do ano!).

 

Assim, todo ano, mais que montar a árvore, adoro “ajeitar” a minha guirlanda. Digo “ajeitar” por que ela começou prontinha, comprada num bazar de Natal. Passados alguns anos, eu a desfiz e refiz com novos enfeites e isso virou uma tradição (que mostrei nesse post).

 

Ano passado já havia decidido que os animaizinhos da minha árvore iriam parar na guirlanda este ano. A idéia era decorá-la com todos os pássaros, borboletas e libélulas, além das flores, frutas e galhos.

 

Enquanto os meninos “arrumavam” (lol) a árvore, eu iniciei meu projeto: primeiro, retirando todos os enfeites do ano anterior e deixando apenas as folhagens verdes. Em seguida, estudei a disposição dos novos enfeites, para criar o clima “Natal na Floresta” que eu desejava. Depois, comecei o processo de fixar os enfeites, prendendo-os à base verde.


Detalhe dos meus passarinhos, borboletas e libélulas...

 

Os meninos, excitados com a “chegada” do Natal em nossa casa, corriam em volta de mim até que pararam para observar o que eu fazia. Nesse ponto, a guirlanda estava praticamente pronta: “Mas, mãe, ela vai ficar assim mesmo, toda bagunçada e cheia de coisas???”

 

Ah, a minha auto-estima... Como podem ver, recebo reforços positivos todos os dias... lol

 

Não me fiz de rogada e decidi “aumentar a bagunça”, pendurando um penduricalho a mais! No fim, eu confesso que fiquei louca pelo resultado por que tenho essa coisa meio kitsch habitando em mim: mais é mais e pronto!


Acha pouco enfeite? Que tal um pingente simplesinho embaixo?

 

Ela não será unanimidade, sobretudo em tempos da “hegemonia clean”... Mas, querem saber? Eu sinto um prazer enorme em contemplá-la sempre que chego e saio de casa... Tão primaveril, colorida, exagerada, brilhante!


Aí dá prá ver um pouquinho do hall de entrada.

O que acham? Será que exagerei mesmo na dose? Ideias para a próxima guirlanda? 



quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Capa para caderno com patch aplique e bordados



Olá!

 

Às vezes eu me fixo em algumas coisas, por exemplo músicas. Quando começo a ouvir um cantor que gosto, eu “esgoto” a música de tanto ouvir! lol É mesmo isso. Quando gosto de algo, sou muito intensa.

 

Como podem imaginar, isso tem vantagens e desvantagens... Já tive o tempo do mousse de maracujá, já tive o tempo do spinning e, agora, em termos de crafts, estou no momento “capas para cadernos”. Isso significa que adoro testar jeitos novos de fazer a mesma coisa!



 

Para a minha amiga Erilene, do Blog da Eri, fiz uma capa com suas cores preferidas, vermelho e verde. Aí, resolvi testar algo que vi num quilt de uma revista maravilhosa que a minha irmã me deu: um patch aplique de um galho e um pássaro. Optei por tons semelhantes para o corpo do passarinho, cortado em um tecido de listas.



 

Os moldes da revista foram transferidos para o papel termocolante e, este, para o avesso dos tecidos. O acabamento, fiz com bordados diferentes por que não queria usar o ponto caseado (que é comum neste tipo de acabamento). Assim, após colar as partes à capa, optei pelo simples alinhavo no pássaro e, no galho e nas folhas, com um pouquinho mais de trabalho, fiz um ponto de efeito incrível, chamado Loop Stitch ou Ponto de Centopeia. O biquinho e o olho foram bordados em ponto cheio.



 

Para fechar o caderno, optei por fitas vermelhas para dar um laço, bem feminino.



 

Espero que o presente seja útil à minha amiga escritora. Gostaram da ideia? Será que ainda encontrarei coisas diferentes a fazer com estas capinhas??? Lol



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...