segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Uma reconciliação


Frente
Costas
Detalhe da borboleta com continhas
Final de semana passada, após ver a evolução do trabalho da Gis com os girassóis do Van Gogh, me deu uma vontadezinha de fazer alguma coisa em ponto cruz, mas algo bem sutil, tal como um recomeço. Aproveitando o momento de bordar coisinhas pequenas e delicadas para os marcadores de página, ocorreu-me que o ponto cruz cairia bem e que a personalização poderia ser materializada com a inicial do nome do presenteado.

Comecei a bordar um “A” de um monograma que traz pequenas borboletas incrustadas. O resultado foi tão bom que me deu vontade de bordar o alfabeto inteiro. A java para ponto cruz marfim ficou bem com os tecidos estampados da parte de trás e, com a prática, costurei dois marcadores rapidamente. O marcador com “A” foi dado de presente pelo Rafael para a Tia Ale. O segundo marcador, com o bordado de um grande lápis vermelho, foi presenteado à Tia Marilac. Esta recebeu ainda, por conta do seu aniversário no domingo anterior, a toalha marfim bordada em crivo. Fiz uma embalagem em forma de bombom (tks, Gis!;-) ) que o Rafa achou bem engraçada.

Infelizmente não tirei as fotos destes dois primeiros marcadores... Mas a série continua, com as letras das pessoas que eu pretendo presentear. Estou gostando bastante de bordar rapidamente o monograma e já usei cores diferentes para as borboletas. Imagino que seja uma boa opção para as lembrancinhas de final de ano ou de páscoa.

Como pensar nunca é demais, vamos mais uma vez extrapolar as fronteiras do prosaico. A irredutibilidade é completamente “over”. Passei um longo tempo sendo absolutamente inflexível com relação ao ponto cruz e eis que me vejo bordando cruzinhas novamente e, melhor, adorando! Como tudo o mais na vida, o segredo está na intensidade. Nem todo mundo (eu incluída) sentirá prazer nos trabalhos extremos em ponto cruz, aqueles bem desafiadores, mas isto não significa ter que abrir mão do prazer dos bordados breves, fugazes.

Na minha busca pelo equilíbrio, pelo caminho do meio – que passa pela alimentação, pela relação com o trabalho, com as pessoas, etc. – não havia mais espaço para o “nunca”. Fui inflexível tempo demais. Assim, em processo de reconciliação com o ponto cruz, com o meu corpo, com a minha saúde, com os meus relacionamentos, com o meu tempo, fico mais inteira e coerente.

Diante das vicissitudes da vida, tento seguir o exemplo da Aninha que certa feita me respondeu: “Sei que o caminho é em frente e a ordem da vida é: enfrente!”. Aninha também tem me ensinado a importância das “diversões da alma”.

Este blog é uma grande alegria para a minha alma, assim como todos os trabalhos que tenho feito o são. Cada um de nós tem sua receita.

Com que diversões você tem presenteado sua alma? Às vezes não sobra tempo e, desatentos, não percebemos que a rotina passou seu rolo compressor sobre sonhos, projetos, idéias, pequenos hábitos que humanizavam o dia-a-dia. O que fica não é muito mais que um bagaço espremido...

6 comentários:

Karine disse...

Mony, sem querer rasgar seda, mas amei não só o presente como a oportunidade de me deleitar com esse seu texto... Aprecio e me divirto com a forma com que você escreve! E essa ideia de traçar paralelos entre o gosto pelo bordado e as coisas que se passam pela nossa vida é algo que só podia partir de uma mente tão inteligente quanto a sua! Parabéns pelo blog! Obrigada por partilhar conosco as tuas impressões. Fiquei tão encantada com a delicadeza do presente que, sinceramente, faltaram as palavras para agradecer à altura... O presenteado com a letra J te escreverá apartadamente! rsrsrsrs Beijão, Ká.

apbessa disse...

Adoro seus textos. Parabéns!!!

Simone disse...

Olá Simone!
Passando para lhe parabenizar pelo blog, pela essência dos textos, pela excelência da escrita e principalmente pela primorosa capacidade de expressar tão bem seus sentimentos, é de uma riqueza 'aluziada'!!! Parabéns de verdade. Abraço e muita inspiração para os próximos textos.

Simone Arrais disse...

Simone, obrigada pelas palavras gentis e seja muito bem vinda! Que bom que gostou!

Jesus Izquierdo disse...

Oi, Simone, sou pouco amigo da internet. Meus contatos com ela se reduzem a acessos rápidos e utilitários. Contudo, depois de receber seu presente, me deixei seduzir pela tentação de visitar seu blog. Como criança quando explora coisas novas, primeiro olhei as fotografias e, depois, relaxado pela massagem visual das cores, comecei a ler os textos. Fiquei encantado. Parabéns. É prazeroso encontrar textos despretensiosos, que descrevem esses retalhos da vida que, à primeira vista, dão a impressão de ser insignificantes. Tenho certeza que quem passe pelo seu blog vai aprender que a vida se costura nos pequenos detalhes, que a felicidade mais do que um estado de espírito é uma pontada de prazer que nos inebria quando fugimos da rotina. Como se usasse uma lupa, você consegue resgatar a beleza escondida nas pequenas coisas, ensinando-nos que a vida é muito mais do que emprego, sucesso profissional ou financeiro. Seu olhar do cotidiano será sempre um aprendizado para quem tenha a sorte de conhecer seus textos. Obrigado pela lembrancinha que enviou através de Karine, mas obrigado especialmente pela edificante visão de mundo que partilha conosco em seu blog. Um abraço carinhoso: Jesus Izquierdo.

Simone Arrais disse...

Jesus, obrigada pelas palavras gentis e pela visita. Volte sempre que desejar! Um abraço carinhoso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...