terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Contardo Calligaris e uma Surpresa Especial


Um passarinho me contou...
A little bird told me...

Eu gosto muito de como o Contardo Calligaris escreve e eventualmente tenho comprado seus livros. De vez em quando acesso seu blog (http://contardocalligaris.blogspot.com) e leio as crônicas que são publicadas na Folha de São Paulo.

Numa delas, senti-me absolutamente representada. Ele tenta explicar, a um adolescente, sobre o valor do trabalho de artesãos em oposição aos produtos feitos para as massas, de consumo imediato, ainda que sejam produtos caros e luxuosos.

Um trecho, especificamente, me fez pensar em nossas, não tão pequenas assim, comunidades virtuais (e presenciais) que teimam em manter viva a graça dos trabalhos manuais:

“(...) no dia em que formos incapazes de reconhecer e respeitar, no produto, a excelência do artesão, quando não soubermos mais enxergar o trabalho humano nos objetos que usamos, teremos perdido todo interesse pela vida concreta - inclusive pela nossa própria.”

Leia mais em: http://contardocalligaris.blogspot.com/2009_01_01_archive.html

Contardo meio que se desculpa pela sentença um pouco “catastrofista”, mas, por mim, ele não precisava se desculpar. Na medida em que consumimos todos as mesmas cores, marcas, modelos, perdemos muito de nossa individualidade, da nossa subjetividade.

Não acho que o craft seja só um passatempo, uma pausa na vida de alguém que tem uma persona pública qualquer. O craft é, para mim, uma forma de resistir à inércia de não saber de onde veio um produto, como foi produzido, seus possíveis significados, o quanto de energia, carinho, amor, atenção, conhecimento, dedicação pode existir num único artefato.

Pai Natal, Papai Noel, Santa Claus.
E aí eu recebo a visita do Pai Natal pelas mãos da querida Nia, de Portugal, uma das primeiras amigas virtuais desta minha jornada pela blogosfera. A Nia, carinhosamente, despendeu o seu precioso tempo, sua arte, seu carinho e pensou em todos os amigos e nos seus sorrisos, ao receberem um cartão de felicitações natalinas. Como não se emocionar e não reconhecer a humanidade neste gesto??

Mais um passarinho para a minha árvore!
One litlle bird more to my Christmas tree!
Eu amei a gentileza!
I loved the kindness!
Então, Nia, obrigada pelo carinhoso cartão e pela oportunidade de reconhecer, em sua arte, nossa existência como seres únicos e especiais. Feliz Natal a todos! 

****

Contardo Calligaris and a Special Surprise



I really like how Contardo Calligaris writes and I bought some of his books. Sometimes I access your blog (http://contardocalligaris.blogspot.com) and I read the chronicles that are published in the Folha de Sao Paulo.

In one of that, I felt myself absolutely represented. He tries to explain to a teenager about the value of the craftsmen work as opposed to products made to million, for immediate consumption, although it can be expensive and luxurious products.

An excerpt, specifically, made me think about our (not so small) virtual communities that insists on keeping alive the fun of crafts:

"(...) In the day that we will be incapable of recognizing and respecting the product, the excellence of the artisan, when we won’t see the human work on the objects that we use, we will have lost all interest in real life - even by ourselves. (Sorry, Contardo, my english is so poor…).

Contardo said that sentence was "catastrophic", but for me, he doesn’t need to apologize. When we consume the same colors, brands, models, we lose much of our individuality, our subjectivity.

I don’t think the craft is only a hobby, a break in the life of someone who has a public persona. The craft is, to me, a way to resist against the inertia of not knowing about how the product are made, its possible meanings, how much energy, affection, love, attention, knowledge, dedication can exist in a single product.

So I received a special gift by my dearest Nia, from Portugal, one of the first friends of my virtual journey through the blogosphere. Nia spent her precious time, her art, her affection to send to all of her friends an special Christmas greetings card. How couldn’t I recognize the humanity in this gesture?

So, Nia, thanks for the Christmas greeting Card and for the opportunity to recognize our unique and special existence in your craft. Merry Christmas to all!

6 comentários:

Joanita disse...

Olá Simone! =)

Impossivel não valorizar um gesto carinhoso desses! O cartão estão muito fofo (como tudo o que a Nia faz)!

Kiss!

Janaina disse...

Ela é querida em tudo o que faz mesmo! =)

Gislene Ellery disse...

Que lindo! Ficou perfeito na árvore!

Penso que artesanato é como escrever cartas. Não é o mesmo que email... Nada se compara ao prazer de sentar, pegar caneta e papel e escrever para alguém querido. Receber uma carta então! Ter nas mão algo que alguém escreveu especialmente para nós, que dedicou parte de seu tempo para nos escrever... Não tem igual!

Beijos Si!

Dana disse...

Oi, Simone, escrevi um recadinho outro dia pra vc, mas não lembro em qual post..... Nem sei se vc chegou a ler, pq não sei se ficou registrado.... mas tô adorando o seu blog. Cada post e cada arte, ótimos!!!!! Me vejo muito no q vc escreve.... A propósito, lindo o cartão!!! um beijo

♥ Nia disse...

Fico muitooooooooooo feliz por te ter feito sorrir!!! :D
abraço gigaaaaaaaaaaaaaaaaaaante

Simone Arrais disse...

Joanita, a Nia é muito, muito gorgeous! =) Bjs, querida! Espero que esteja conseguindo sobreviver à dissertação...

Janaína, assim como você! Que sorte eu tenho com minhas amigas virtuais, não? =)

Gis, que sorte eu tenho com as minhas amigas presenciais, não?? =)

Dana, recebi seu outro comentário, muito carinhoso! Que bom que você está gostando! Bjs, bjs!

Nia, sua amizade é muito especial! Outro abraço monstro! Bjs!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...