quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O bom de errar


A foto não está à altura do sabor, reconheço...


Tenho uma amiga maravilhosa, chamada Marcinha, que é a pessoa mais otimista que anda sobre a face da Terra e que faz a Poliana dos livros da nossa infância, parecer uma hiena triste.

Pois bem, a Marcinha sintetizou, há algum tempo, a essência da liderança: “Eu gosto de trabalhar com pessoas com as quais eu me sinto à vontade para errar. Quando a gente tem medo de errar, a gente não trabalha direito e não faz o nosso melhor”.

Não sei se as palavras foram exatamente estas, mas é este o sentido. O ato de criar está intrinsecamente ligado à possibilidade de erro. Às vezes, um erro no resultado esperado muda o curso da história, por engendrar algo novo ou inusitado.

Isso aconteceu, mais uma vez, domingo, na minha cozinha. Resolvi fazer o bolo de fubá do La Cucinetta, que é um hit familiar, usando a farinha de trigo integral junto com o fubá de milho, recomendação médica. Ao invés de colocar os ingredientes na batedeira, como sugere a Ana Elisa, eu cometi o primeiro erro e os coloquei no liquidificador.

Depois, errei de novo, por que comecei tudo sem verificar se tinha todos os ingredientes. Faltava exatamente o fubá... Ah, meu Deus! Vai a farinha integral mesmo. Depois, o leite não era suficiente, vai um pote de iogurte, próximo ao vencimento. Eu estava fazendo algo que, decididamente, não era mais o maravilhoso bolo da Ana...

Como os meninos tinham um convidado em casa, convoquei todos para ajudar a encher forminhas de muffins e, por cima, colocamos gotinhas de chocolate. Foi uma farra! Bolinhos são sempre menos arriscados que bolões, eis a minha lógica.

A receita funcionou perfeitamente, os bolinhos ficarão leves, fofinhos e, ainda por cima, saudáveis!!! =) Ontem, eu pus a receita “errada” à prova novamente, só que desta vez, com uma cobertura de Ovomaltine, como mostra a foto. Sucesso retumbante de novo, bolinho de iogurte é o novo hit do lanche da tarde!

Seria muito egoísmo não compartilhar só por que esse é um blog de bordados, leituras e pensamentos, concordam?

“Muffins Errar Pode Ser Bom”
(feitos ligeiramente errados a partir da receita do bolo de fubá - que você deve tentar também - daqui)

3 ovos grandes
1 xic óleo de canola ou girassol (de soja deixa gosto forte, não use, por favor)
1 pote de iogurte natural (eu usei o desnatado, diluído em um pouco de leite)
1 ½ xic de açúcar (usei o demerara e o branco)
2 xic de farinha de trigo integral (usei a média, mas acho que fica bom com a fina também)
1 col de fermento em pó

Bata tudo no liquidificador, começando pelos líquidos. Despeje em forminhas para muffins (as minhas são de silicone), cubra com ovomaltine ou gotinhas de chocolate, e leve ao forno pré-aquecido, numa assadeira. Retire quando o garfo ou um palito entrar e sair limpo; vocês já sabem disso, né? Ah, comer quentinho é melhor... Rende de 22 a 24 bolinhos.


***

Advantages of getting wrong




I have a wonderful friend called Marcinha, which is the most optimistic person who walks on the earth and makes the Pollyanna, caracther of books of our childhood seem like a sad hyena.

Well, Marcinha synthesized the essence of leadership: "I like to work and to have feeling of freedom to make mistakes. When we are afraid of making mistakes, we do not work right and not doing our best. "

I don’t know if it were exactly these words, but this is meaning. The act of creation is inextricably linked with the possibility of error. Sometimes an error in the expected outcome changes the course of history, engendering something new or unusual.

It happened again on Sunday, in my kitchen. I decided to make the cornmeal cake of La Cucinetta, using whole wheat flour with corn meal, medical advice. Instead of putting the ingredients into the mixer, as suggested by Ana Elisa, I made the first mistake and put them in the blender.

Then I made a new mistake why I started without ensuring that everything had all the ingredients. It remained exactly the cornmeal ... Oh, my God! I putted the whole wheat flour. The milk was not enough, I putted some yogurt with milk. I was doing something that definitely was not the Ana’s wonderful cake…

As the boys had a friend at home, I called everyone to help fill muffin cups, and on top, place chocolate chips. It was funny! Muffins are always less risky than big cakes, it is my logic.

The recipe worked perfectly, the muffins were soft, cuddly and, moreover, healthy! =) Yesterday, I tested the "wrong" recipe again. This time with a coverage of chocolate, as show in picture. Resounding success again, yogurt’s muffins are the new hit of the afternoon coffee!

It would be very selfish not to share just why this is a blog of embroidery, reading and thoughts, agree?

"Make Mistakes Can Be Good Muffins"
(Made slightly wrong from the cornmeal cake recipe - you should try it too - from here)

3 large eggs
1 cup of canola oil or sunflower oil (soybean leaves strong taste, do not use, please)
1 pot of yogurt (I used skim milk, diluted with milk)
1 ½ cup of sugar (I used demerara and white)
2 cups whole wheat flour (I used the mean, but I think it looks good with fine too)
1 table spoon of baking powder

Hit it in the blender, starting with the liquids. Fill muffin cups (mine are silicone) and cover with chocolate chips, and bake in preheated oven. Remove when the fork or a toothpick in and out clean, you know that, right? Ah, to eat it warm is better... Makes 22-24 muffins.

2 comentários:

♥ Nia disse...

E assim se inventa algo completamente novo :D heheheh
Eu costumo dizer que a errar é que se aprende ;)

Simone Arrais disse...

Nia, a Marcinha diz que "é errando que se aprende, masé acertando que se evolui". Sábia, não? Bjs!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...