segunda-feira, 5 de setembro de 2011

É possível perder o passado?


 

Há alguns dias, vivi um drama que, para a minha personalidade canceriana, adquiriu proporções épicas.

 

Eu havia trazido, da casa dos meus pais, no interior, os únicos dois álbuns contendo fotos antigas de família, inclusive as poucas fotos da nossa infância. O objetivo era, além de digitalizar este acervo, tentar registrar mais ou menos a época e os personagens de cada foto, quem sabe fazer um scrapbook.


Minha foto preferida: bebê, no colo do meu pai.

Quando escrevi o post “Um vestido especial”, precisei da foto da minha formatura no colégio para ilustrar o vestido descrito. Porém, não encontrei os álbuns.

 

Coloquei a casa abaixo e, durante uma semana, procurei desesperadamente, em todos os cômodos, os álbuns perdidos. Liguei para todo mundo, procurei de novo, chorei, me descabelei... Uma sensação de pesar foi se abatendo sobre mim: eu havia perdido não só o meu passado, como o de toda a família!


Gente, eu sempre gostei da cor laranja!

Ok, dêem um desconto para a minha natureza dramática... Mas fotos, numa cidade do interior, nos idos dos 70 e 80, não eram a coisa comum que é hoje. Até os meninos, percebendo a minha angústia, me ajudaram a procurar os benditos álbuns.

 

O Rafa, menorzinho, repetia: “Mas, mãe, a gente tem um milhão de fotos!”. Realmente, os meninos têm, para cada ano de vida, muito mais que o triplo do total de fotos que eu havia perdido! 


Eu não avisei sobre o laranja?? LOL

 

Por fim, resolvi fazer uma última tentativa, olhando, pela quarta vez, um pequeno depósito no qual guardamos os documentos importantes e coisas de pouco uso. Estava, realmente, sem esperanças. O Hilismar continuava me incentivando. Para ele, era impossível que eu tivesse me desfeito de algo tão importante para mim.

 

Ao abrir um envelope, no qual estavam as fotos antigas da família dele, as minhas fotos estavam lá!


Parecem tão poucas fotos...

Não sei explicar como a minha memória me pregou uma peça tão grande. Eu simplesmente deletei a lembrança de ter retirado as fotos dos álbuns, já muito velhos e empoeirados, de tê-los jogado fora e, pior, de ter guardado as fotos no mesmo envelope das fotos da família do Hilismar...

 

Ao encontrar as fotos, fiz a única coisa possível a um canceriano que reencontra algo dado como perdido: sentei e chorei. Dessa vez, de alívio.



7 comentários:

27011994 disse...

Ai que alívio, minha irmã!!! Até eu fui me descabelando ao longo do texto! rsrsrs... Aina bem que foi só um susto... Saudade de nossa infância revelada nessas fotos...Beijos!

Isabella Morais disse...

Amiga...isso já aconteceu comigo! Já chorei muito por não encontrar algo. É que a gente começa a pensar no quão importante é aquela coisa e como a gente vai ficar se não ter essa coisa não é?!? Pois é...na hora que encontramos bate um alívio tão tão grande que a gente chora de novo.

Uma vez eu perdi simplesmente 600 reais de uma vez só...o pior é que eu nunca encontrei esse dinheiro e fiquei no prejuízo...essa foi uma perda horível! eheheheh..

Eu sempre escrevo "Irmão Felipe" num papel quando perco alguma coisa. Mesmo depois de alguns dias eu acabo encontrando...sei lá, vem um estalo na mente e a gente vai certinho no lugar onde deixou.

Fotos antigas eu guardo a 7 chaves! tenho muita :D Ainda não figitalizei. Me disseram uma vez que os arquivos em jpg tem um certo tempo de vida, não sei qual o tempo mas que os arquivos em TIFF duram mais, porém estes são enormes!

Ehehehe...escrevi muito né!?

Beijos beijos e beijos! Que tal? os retalhos chegaram?

♥ Nia disse...

Que memórias tão lindas tu aí tens =) Eu também adoro fotos, desde pequenina que as organizava em albuns.. hoje caimos muito no digital :p Faz tempo que estou para imprimir as fotos preferidas e colocá-las em album também! Sim, porque folhear paginas de fotos não tem o mesmo sabor que ver na tela do computador ;) Fizeste-me relembrar isso, tenho de voltar à ideia de completar mais alguns albuns ;)
Muito lindas as tuas fotos de pequenina :D Lindo laranja!!!! heheheh Criança quer é cores alegres! :D

Joanita disse...

Também sou assim! Fico num estado de nervos quando não encontro algo. O que acontece é que guardo as coisas tão bem guardadas, que às vezes esqueço-me de onde estão! LOL

E depois, aqui por casa, a Joana tem que saber onde estão as coisas todas!!!! Grrr

Ainda bem que encontraste as tuas fotos de infância. Com certeza, devem ser uma preciosidade para ti.

Um beijinho

milu disse...

Andei por aqui e adorei>>>Achei duas coisas que mais adoro fazer, leituras e costuras...FIQUEI FÃ...bJS.

Cecilia e Helena disse...

Ai, Simone, fui lendo o texto e ficando aflita com você ... Que bom que tudo terminou bem!
Um abraço carinhoso da Cecilia.

Rita disse...

Bem..deves ter passado por um momento terrível mesmo! Pensar que se tinha perdido algo tão valioso! Eu tb sou assim "dramática", por isso se algo semelhante acontecesse, dava em doida:/

Ainda bem que encontraste..fico mm feliz! Fotos do nosso passado são mesmo mto especiais:)

beijinhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...