segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A Girafa e o Jaguar

Esta girafa é tão bonita! Meu bichinho preferido.
This giraffe is so beautiful! My favorite pet.

Olá a todos! Estou super feliz de fazer parte do Margaret Sherry Lovers! Acabo de postar as duas primeiras letras do alfabeto que estou bordando com a Gis e que vocês têm acompanhado aqui. Este projeto tem me dado grandes alegrias e os meninos - que serão presenteados com as colchas - estão adorando cada bichinho. Atualmente estou bordando o "H". Espero que gostem!  

Vejam este jaguar, que bonito! Ele foi bordado pela Gislene.
Watch this jaguar, how beautiful! It was embroidered by Gislene.
*****
Hello everyone! I am so excited to be part of the Margaret Sherry Lovers! I just post the first two letters of the alphabet that I'm embroidering with Gis and that you have followed here. This project has given me great joy and my boys - who will get the quilts - they're loving every pet. I'm currently stitching the "H". Enjoy!

sábado, 16 de outubro de 2010

Mais letras

Sapinhos para um "F" bordado por mim.
Little frogs for an "F" embroidered by me.

Lindos macaquinhos e suas bananas, no "M" bordado pela Gis.
Beautiful little monkeys and their bananas, "M" embroidered by Gis.

Olá! Hoje resolvi postar mais duas letras do abecedário da Margaret Sherry, projeto que está sendo desenvolvido por mim e pela Gislene. Espero que gostem!

****

Hello! Today I decided to post two more letters of the alphabet from Margaret Sherry, a project that is being developed by myself and my friend Gislene. Enjoy!


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

ABC

Os esquilos animam meu "S", bordados pela Gis. Parecem que vão sair pulando a qualquer momento, não?
Squirrels enliven my "S" embroidered by Gis. Seems like it will jump out at any time, no?

Este bichinho misterioso (não, não é um urso - bear...) foi bordado por mim.
This mysterious little animal (no, it isn't a bear...) was embroidered by me.


As letras do abecedário da Margaret Sherry têm absorvido a mim e à Gis. Os bichinhos parecem tridimensionais de tão reais, com seus pêlos e bigodinhos... Lindos e rápidos, minha combinação preferida.
  
Já temos um "M" prontinho, em breve posto a foto. Estou trabalhando no "F" que será seguido de um lindo "H".

****

The letters of the alphabet from Margaret Sherry have absorbed me and Gis. The pets seem so real three-dimensional, with their hair and mustache...  Beautiful and fast, my preferred combination.


We have an "M" all ready, will soon post a picture. I'm working on the "F" will be followed by a gorgeous "H".

terça-feira, 12 de outubro de 2010

A questão do abecedário


Depois que inventei de mergulhar no mundo dos blogs, tenho pesquisado e comprado cada vez mais publicações internacionais. O Brasil ainda engatinha em matéria de livros sobre bordados e, quando se trata do cross stitch então, a situação piora. Os gráficos se repetem à exaustão nas revistas nacionais, com raríssimas exceções.

Dito isto, uma coisa me chamou a atenção, nessa minha retomada do velho ponto cruz: a maioria das revistas européias traz lindos abecedários, com os mais diversos temas, que são apresentados como recursos de decoração para as casas. Imagino que os abecedários devem ter sua utilidade na sala de aula, mas na decoração de uma sala de estar? Comichão...  

Aí, para botar mais lenha na fogueira, a Nia, do Margaret Sherry Lovers postou um lindo abecedário com os bichinhos característicos da Margaret Sherry. Fiquei ouriçada.

Mas vou bordá-los com que fim? Lá estava eu às voltas com a questão utilitária... Continuo a saga sem fim dos bookmarks? Ocorre que os temas são larguinhos e tomariam quase toda a página de um livro de tamanho padrão... Por fim, imaginei que seria divertido para os meninos terem as letras em seu quarto e poder brincar um pouco com o nome dos bichinhos em inglês (cada letra vem acompanhada de um animal que a "representa").

Assim, o projeto do momento são as letras, bordadas em ponto cruz, uma a uma, para um futuro patchwork (barra de colchas, fronhas?), já que os meus pequenos estão se alfabetizando. A Gis começou com o "S" e o "M". Eu fiquei com o "A" e o "F". Em breve, mostro o andamento deste projeto.

domingo, 10 de outubro de 2010

Será mesmo o fim da série Bookmarks?


Final de semana trasado, concluí os dois projetos especiais da Série Bookmarks: o “A” roto e o “Little Miss Venezuela”.

O bordado do “miss” sobre a base de vagonite azul acabou por repuxar um pouco a étamine, o que dificultou a execução da parte de trás. As palavras foram bordadas em ponto haste (“miss”) e ponto atrás (“little e Venezuela”).
Detalhe de como o "M" em ponto haste repuxou a etamine. 
Apesar da queixa do meu irmão de que o “Little Miss Venezuela” ficaria mais bonito que o dele, confesso que acabei por gostar mais do resultado final do “A”, bordado com as linhas em tons escuros, com pequenas traças bordadas em ponto cheio, em linha marrom. Gostei especialmente da parte de trás do bookmark, com o aproveitamento de aparas de uma calça jeans escuro que comprei grande demais. Achei que ficou bem casado com o aspecto meio destróier da parte frontal.
A foto acabou ficando meio sépia, por causa da luz...
Esta semana os bookmarks viajaram para São Paulo e, em seguida, seguem para Caracas. Espero que, passada a tensão relativa à eleição venezuelana, a Flavia possa ler um bom livro e usar seu presente.

Ocorre que pensando nesta questão utilitária – eu ainda estou muito fixada nesta coisa da utilidade – me dei conta que, após distribuir tantos marca páginas, eu estava marcando as páginas da minha leitura da Guerra dos Tronos (um portentoso volume de quase seiscentas páginas) com um pedacinho de papel qualquer... “Casa de ferreiro, espeto de pau”, dizia minha mãe, dona de mercearia, cada vez que algum item faltava para o preparo do almoço ou jantar na nossa casa da infância.

Assim, meio envergonhada, comecei a pesquisar um tema para o meu próprio bookmark. De pronto, imaginei uma girafa. Adoro girafas e todo mundo que me conhece sabe o quanto elas me emocionam. Separei outros motivos, mas, curiosamente, passei ao largo do meu monograma. Já tinha separado, para bordar no futuro, bichinhos muitos engraçados, decorados com xadrezes ou estampas, o que os diferenciava do mero tema infantil e conferia um ar meio kitsch.

Escolhi uma ovelha xadrez e, ao seu lado, bordei alguns “Z” para remeter ao fato de que, de tão cansada, acabo lendo menos do que gostaria: sou vencida pelo sono. A ovelhinha acabou sendo uma piada sobre mim mesma, o que adoro. O resultado ficou bem legal e comecei a bordar outra, estampada com bolinhas. Só para poder escolher.
Essas ovelhas são bem oníricas, não?
Nem sei de qual gostei mais...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Uma exposição e o significado de “estupendo”


Meus filhos herdaram de mim um gosto incomum por palavras. Ambos utilizam o vocabulário de maneira muito particular para expressar seus sentimentos: o Gui, mais comedido, quer saber o significado de tudo ou a tradução para outras línguas; o Rafa, mais solar, ao ver qualquer diálogo iniciado, acha que se omitir é pecado mortal e tem sempre uma opinião na ponta da língua ou o indefectível “deixa eu falar!”.

Ontem, eu e o Gui conversávamos sobre a beleza das palavras. “Qual a palavra que tu acha mais bonita, mãe?” “Ah, filho, existem tantas palavras legais... por exemplo: ignóbil.” Espanto. “O que é isso?” “É o mesmo que burro, filho.” “Ah, ta...” (Aqui, cabe uma explicação: dei uma forçada no significado literal da palavra para aproxima-la da compreensão dele, que tem seis anos apenas. Como eu explicaria como é ser “sem nobreza ou abjeto” para o Gui?? Ficou pra próxima...)

E continuamos: “E você, meu filho, qual sua palavra preferida?” De bate pronto: “Estupendo”. Levei alguns segundos para me recuperar. Que palavra sensacional! Como a usamos pouco! Admirei profundamente o meu pequeno naquele momento. “Eu gosto muito de esplendido”, falei, não sem certa timidez. “O que é esplendido?” Ele quis saber. “O mesmo que estupendo, oras!” Satisfeito com a explicação, correu pros seus brinquedos e nem me deu chance de comentar que ambas as palavras eram “irmãs” de uma das palavras preferidas do meu pai, a bela “formidável”...

No sábado, visitei a exposição Traço Ponto Arte, que sintetiza o encontro feliz dos artistas plásticos Wilson Neto (http://www.wilsonneto.com/wn/) e Vera Dessart. Ele, dono do traço e das tintas, ela, senhora das linhas e cores, criaram juntos treze telas que unem, de uma maneira muito delicada, a pintura e o bordado, em suas diversas expressões.
A obra que mais gostei: "Amigos"

Eu fico extasiada quando vejo o bordado alinhar-se a outras formas de expressão artística, em altíssimo nível, como nesta exposição. Penso que a visão utilitária que a maioria das pessoas tem do bordado contribuiu para que este perdesse, ao longo do tempo, a capacidade de ser valorizado como arte per si. Nada contra decorar nossas casas com capas de almofadas, fronhas e colchas. No entanto, é formidável perceber que o bordado pode ser mais que seus diversos usos. É arte, expressão da cultura dos povos desde tempos imemoriais e, nele, podemos nos reconhecer e nos transcender.

O trabalho dos dois artistas me emocionou demais. Fiquei feliz por longas horas. Quando comentei com amigos sobre a felicidade que sentira, havia uma única palavra para resumir a exposição: estupenda. Obrigada, Gui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...