sábado, 31 de maio de 2014

Linhas Escritas # No Ar Rarefeito




Vocês devem ter visto na mídia, recentemente, a maior tragédia já registrada no Monte Everest, uma super avalanche que vitimou 16 pessoas, em sua maioria sherpas. Em uma das expedições estava um cearense, conterrâneo meu, Rosier Alexandre, participante do Projeto Sete Cumes.

Este seleto grupo de montanhistas, após o Everest, terá escalado as 7 maiores montanhas do Planeta, o que considero um feito incrível!

Não só pela presença do Rosier, mas, também, por um interesse meu, anterior, o Everest já era alvo da minha atenção e este pequeno volume do jornalista americano Jon Krakauer é leitura indispensável sobre o montanhismo, sobre o Everest e sobre o que move alguém a superar todos os seus limites físicos e emocionais além das mais difíceis condições por um sonho.

Texto de divulgação:
“Contratado por uma revista para escrever sobre a crescente comercialização da escalada do monte Everest, Jon Krakauer participou de uma expedição guiada ao topo do mundo. Em 10 de março de 1996, atingiu com muito custo os 8848 metros de altitude. Enquanto descia ao acampamento, nove alpinistas morreram, e até o final daquele mês outros três não resistiriam à empreitada. Muito abalado pela tragédia e obcecado em rever o evento em detalhes, Krakauer escreveu este depoimento tocante sobre o sentido da vida e o poder dos sonhos.”

A tragédia recente abalou a equipe do Rosier, que perdeu vários membros, e a expedição foi abortada. O sonho de conquistar o sétimo e mais importante cume, entretanto, não morreu. Em 2015 uma nova expedição está agendada.

Até lá, a leitura deste livro é uma super pedida. Anote aí minha avaliação: é de tirar o fôlego!


domingo, 25 de maio de 2014

Toalha de Banho com Bordado Monster High




Eu confesso não entender muito a atração das crianças pelo mundo sobrenatural... A avalanche de vampiros adolescentes, monstros, filmes sobre assassinos seriais e, mais recentemente, das bonequinhas Monster High, parece remeter a tempos imemoriais, em que ser criança era muito mais arriscado, difícil, assustador. Nada dessa coisa cor de rosa que queremos fazer a infância parecer hoje.


Dito isto, uma amiga do trabalho me convida para o aniversário das filhas, cujo tema era este universo de teenagers vampiras, mortas-vivas, zumbis. Bom, posso até não entender o que há de legal nestes brinquedos, mas o tema é bem “bordável”, concordam?

Optei por toalhas cor de rosa, com barra para pintar/bordar. Bordei o nome das meninas em uma fonte vazada e, de cada lado dos nomes, a caveirinha “fofa” da marca. 


Para a caveirinha, ponto atrás e, para o laço, o ponto corrente. Em tons fúnebres, claro.

  
Para as letras, nosso velho amigo, o ponto atrás.

  
Cada menina tem agora sua toalha com bordado que remete ao tema que elas tanto gostam, porém personalizadas com seus nomes.

Acho que o que eu queria mesmo era dizer a elas com este presente que estes modismos todos passarão, mas a personalidade de cada uma, sua subjetividade, qualidades e potencialidades são únicas e devem ser preservadas para uma vida mais plena.

Gostaram? Já bordaram coisas “estranhas”?!


quinta-feira, 1 de maio de 2014

Linhas Escritas # Quinta Coluna





Alguns poucos amigos leitores deste blog sabem que sou psicóloga, ainda que não exerça a prática clínica. Na minha graduação, me aproximei da Psicanálise e foi esta corrente de pensamento que orientou minha formação e estágios clínicos.

O tempo e as oportunidades de trabalho posteriores foram me distanciando da Psicanálise, mas um autor – psicanalista – vez por outra, nos reaproxima: Contardo Calligaris.

Adoro o jeito como ele escreve. Tenho acompanhado sua trajetória e comprado seus livros. Mais recentemente, passei a acompanhar avidamente a Série Psi, criada e escrita por ele, em exibição no HBO. Fantástica!

Mas hoje, vamos falar de uma coletânea de suas crônicas e textos escritos ao longo dos anos para a Folha de São Paulo: Quinta Coluna (Editora Publifolha).

Mais que um olhar psicanalítico, o que apreendemos é o olhar desapaixonado de um pensador dos nossos tempos. Para quem quer conhecer o trabalho deste autor, este livro é muito indicado.

Texto de divulgação:

Quinta-Coluna" reúne 101 crônicas de Contardo Calligaris, publicadas em sua coluna semanal do caderno "Ilustrada", da Folha de São Paulo. Juntas, compõem uma coleção primorosa de textos, comentando assuntos que vão desde relações conjugais, adolescência, cotidiano, guerra, passando pelos expoentes do cinema, da literatura, e das artes em geral, sempre com uma visão que procura iluminar as questões mais urgentes de nosso tempo.”

Anote aí minha avaliação: leitura inquietante, indispensável àqueles que querem alargar seu ponto de vista sobre a maioria dos temas atuais.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...