segunda-feira, 31 de março de 2014

Linhas Escritas # Mundo Sem Fim



Já falamos aqui sobre a saga medieval Os Pilares da Terra, escrita pelo autor inglês Ken Follett e de como fui arrebatada por sua escrita detalhada e colorida. Como o que já era bom, pode sempre melhorar, algum tempo depois adquiri a continuação da saga, Mundo sem Fim.

A história de Mundo Sem Fim se passa 200 anos depois e retrata os conflitos dos descendentes dos personagens de Os Pilares da Terra, na mesma cidade de Kingsbridge.

Texto de Divulgação:

“Desta vez, Follett acompanha a trajetória de quatro crianças que presenciam a morte de dois guardas da rainha por um cavalheiro que viria a se tornar monge mais tarde. Um crime ao qual eles se comprometem a manter em segredo. Apesar das diferenças sociais que os separam em plena Idade Média, pelas três décadas seguintes suas vidas seguem se entrelaçando, em encontros e desencontros que geram do maior amor ao ódio mais profundo.”

Anote aí minha avaliação: não se tornou best-seller à toa!


domingo, 30 de março de 2014

Receitinhas # Papillote de Salmão com Shimeji + Couscous Marroquino




Sempre que preparo este jantar leve e delicioso me lembro que esta receita já deveria ter sido compartilhada com vocês... Óbvio que este blog não é de culinária e eu não sou chef, mas adoro cozinhar na mesma medida que odeio arrumar a bagunça que eu mesma faço na cozinha... LOL

Vamos lá! A preparação da receita não tomará mais que 30 minutos do seu tempo e você poderá aproveitar todas as sobras de verduras e legumes que tenha na geladeira. Bom, não?

Primeiro o salmão. Corte um filé de salmão sem a pele (por pessoa) em cubos de 2cm. Tempere com sal e pimenta. Num prato fundo, estenda um pedaço grande papel alumínio, o suficiente para que você possa fechar suas bordas como um envelope, após colocar o salmão e o shimeji. O prato fundo ajudará a fazer o envelope. Coloque o salmão temperado sobre o papel alumínio, no prato fundo, e reserve.

Separe o shimeji em pequenos bouquets. Aqueça, numa frigideira antiaderente, uma colher de manteiga e uma colher de molho shoyu. Coloque o cogumelo e deixe “murchar”.

Por último, cubra os cubos de salmão com o shimeji, feche o envelope e leve ao forno preaquecido por 10 a 15 minutos.

Vamos ao couscous. Comece hidratando uma xícara de sêmola com 1 ½ xícara de caldo de frango ou de legumes fervente. Despeje o caldo sobre a sêmola e cubra com filme plástico ou uma tampa, de modo que o líquido seja absorvido pelos grãos. Eles dobrarão de volume após alguns minutos. Reserve.

Numa frigideira grande, prepare um refogado com o que desejar: cebola, alho, tomates, pimentões, palmito, ervilhas, cenoura ralada, passas, nozes picadas, folhas de hortelã e salsa picadas, etc.

“Solte” os grãos de sêmola com um garfo e os junte ao refogado. Corrija o sal e a pimenta se necessário. Sirva o prato com um envelope de salmão e uma porção de couscous

Não falei?? Um jantar delicioso em menos de 30 minutos! Ah, e a foto, tirada à noite, às pressas, não faz jus à delícia que esta combinação é...

Bom domingo, pessoal!



 

domingo, 23 de março de 2014

Almofada em patchwork com bordado Soda # 4120 – Smile House




Em novembro de 2013 mostrei o bordado que eu fazia para o meu sobrinho Bernardo. Ele figurou também, já finalizado, na minha lista de UFOs. Hoje, quero apresentar-lhes a finalização deste projeto, uma almofada com patchwork em tons de azul, para o quarto azul do Bê.

Aqui, preciso fazer uma pausa para falar sobre o meu patchwork, por assim dizer, “intuitivo”.

Ocorre que nunca fiz curso e o pouco que sei sobre costura aprendi em livros, revistas e em tutoriais na internet. Se, por um lado, isso é bom e inclusivo, por outro, gera problemas como o que passei na execução da almofada.

Não sei planejar. Começo pensando uma coisa, rabisco muito, tento fazer um croqui do que será a almofada e, no final, tenho uma coisa completamente diferente!! Às vezes, por distorções de tamanho das peças e das costuras, às vezes, simplesmente, por que não dá certo mesmo e preciso refazer tudo.


Neste caso, cortei várias outras cores de tecido, mas só estes pareceram criar uma estrutura minimamente harmônica... Planejei colocar uma estampinha em tons de vermelho, para combinar com os detalhes do bordado, mas não deu muito certo no final...

Aqui, a almofada já costurada, mas ainda sem o enchimento (que eu mesma faço, na maioria das vezes):


Por fim, ela prontinha! Notem que os pompoms são azuis!



Estas almofadinhas são completamente inspiradas nos modelos desenvolvidos pela querida Isa, do delicioso Get Crafty Now!, minha fonte constante de inspiração. Espero que tenham gostado!




domingo, 16 de março de 2014

Toalha de Banho com Ponto Reto - WIP




Quando meu blackout começou a terminar, este foi o primeiro projeto que me movimentou. Estava pensando em executar este bordado há meses!

Primeiro, fiz vários testes. Tentei com dois fios da linha de bordar comum, mas, para o ponto reto ficar realmente bonito, sobretudo quando aplicado em toalhas de banho ou outro tecido com a trama mais espaçada, a linha mais grossa é fundamental.


Fracassei duas vezes: uma pela linha – muito fina, mesmo usando mais fios – e outra pelo tecido – usando a aida muito pequenina com a linha fina (teste 2).

Resolvi deixar a preguiça de lado e ir até uma loja de aviamentos comprar as cores da linha Anchor Perlé que eu não tinha.

Aqui, uma pausa: sou só eu que estou achando os materiais caríssimos???? R$ 6,00 um novelinho de linha???? Dia desses a Isa comentava sobre a dificuldade de encontrar suprimentos crafts na sua cidade, Belém. Por aqui não é diferente... Ter que ir ao Centro comprar os materiais por preço menor significa, além do estresse do deslocamento, pagar taxas abusivas nos estacionamentos, o que nem sempre compensa...


Vejam o andamento do trabalho. Pela minha experiência anterior, em trabalhos extensos como estes, comece logo com o que demanda mais esforço, mais trabalho, assim você correrá um risco menor de abandonar o projeto.

Comecei pela linha roxa, cuidando para que o avesso não ficasse tão feio, já que ponto reto não é como ponto cruz, que permite um avesso perfeito...

  
Em breve, mostro o avanço. Bom domingo!


domingo, 9 de março de 2014

It’s Christmas again!




E finalmente, após longos quase 3 meses, o presente de Natal enviado pela Valérie chega às minhas mãos!

Que coisa, né gente?!

Em tempos de comunicação instantânea, redes sociais, da quase ausência de contato física, os Correios ainda dificultam assim a vida dos que tentam manter uma interação, por assim dizer, mais real!!

Sinto-me lançada de volta ao século XIX! Será que as cartas e pacotes enviados ao Brasil e do Brasil não usam o avião???? Vão e vêm como? À cavalo???? Só isto justificaria um envelope levar tanto tempo da França para cá! Cruzes!


Mas o que importa é que a Valérie me deixou sorrindo de orelha a orelha com um lindo novo enfeite para a árvore de Natal de 2014 e um cartão cheio de carinho!

Obrigada, amiga! Boa semana, pessoal!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...