sexta-feira, 31 de maio de 2013

Linhas Escritas # Laowai




Depois de biografias, relatos de viagens são minha leitura preferida. Este livro, da jornalista Sonia Bridi, é um exemplo delicioso deste gênero.

Sonia, seu marido, Paulo Zero, e o filho de 3 anos mudaram-se para a China com o objetivo de instalar a base da TV Globo naquele país. Vocês conseguem imaginar o choque cultural, a resiliência necessária para se comunicar, trabalhar, sobreviver em circunstâncias tão diferentes de seu país natal?

Aos poucos, Sonia vai mostrando, além das diferenças, as similaridades e a beleza dos encontros que a família experencia ao longo de dois anos. Sua escrita é leve, o livro me fez rir em vários momentos, chorar em alguns e, sobretudo, apreciar a diversidade humana e cultural da China.

- Texto de divulgação -

Misto de reportagem e diário de viagem, Laowai narra a permanência do casal Sônia Bridi e Paulo Zero na China entre 2005 e 2006. Sem falar o idioma e com um filho de apenas três anos, encararam o desafio de montar a primeira base da TV Globo no Oriente. Sônia conta como foi viver dois anos num país literalmente do outro lado do planeta, com costumes completamente diferentes dos vivenciados até então - apesar de ambos serem cidadãos do mundo, os dois experientes jornalistas sofreram um grande choque cultural. A partir dos acontecimentos do cotidiano como alugar apartamento, liberar equipamentos na aduana, fazer exame para obter carteira de motorista, encontrar escola para o filho, descobrir onde comprar roupas para o seu tamanho ou abrir conta em banco, Sônia vai construindo um retrato da sociedade chinesa, em todos os seus aspectos, sob o ponto de vista de uma laowai, com olhar perspicaz de repórter e viajante experiente e uma perspectiva feminina que dá ao relato um sabor especialíssimo.”

Anote aí minha avaliação: imperdível! 





domingo, 26 de maio de 2013

PAP – Como fazer cartões usando bordados



No último post eu mencionei o meu reencontro com o ponto cruz e o objetivo de fazer cartões com os bordados. Deu tão certo que eu resolvi compartilhar a experiência com vocês.

Se você puder encontrar os kits para cartões prontos, ótimo. Na minha cidade, não foi possível. Como “quem não tem cão, caça como gato”, coloquei os neurônios para funcionar e criei meu próprio kit. Você vai precisar de: papel cartão, régua, estilete, uma base de corte (uma placa de vidro, por exemplo), cola, fita dupla face e, é claro, o bordado.

1. Comece dobrando a folha de papel ao meio (usei tamanho A4):


2. Meça a área do bordado e acrescente mais 1cm de cada lado, de modo a obter o tamanho que precisará ser cortado no papel:



3. Desenhe a área obtida na parte de trás do que será a frente do cartão. Recorte com a ajuda do estilete e da régua, para ficar mais bem acabado:


4. Você deve obter algo assim:


5. Centralize o bordado na abertura, use a régua se necessário:


6. Corte um pedaço de fita dupla face e cole em um dos lados da abertura, pelo lado de dentro, claro. Retire a proteção da fita e pressione sobre o bordado:



7. Com um dos lados já colado ao bordado, será mais fácil terminar de colocar as fitas em volta da abertura ou fazer algum ajuste se for necessário. Pressione bem o bordado sobre as fitas, para mantê-lo bem esticadinho e ter um melhor acabamento:



8. De outra folha do mesmo papel, corte uma metade com o estilete. Esta metade servirá para cobrir o bordado. Depois do primeiro cartão que fiz, passei a retirar 0,5cm de um dos lados. Isso faz com que o cartão feche melhor, depois de pronto:


9. Passe cola em volta do bordado. Use cola bastão, que é seca e não umedece o papel:


10. Cole aquela metade de folha sobre o avesso do bordado e veja como o bordado já fica mais firme:



11. Por último, deixe o cartão descansar um pouco dentro de um livro ou sob algum peso, para que fique bem colado.



Voilà! Cartões craft especiais, com bordados, para todas as ocasiões! Você poderá fazê-los temáticos: Natal, Páscoa, Dia das Mães, Namorados, etc. Use papeis diferentes, outros detalhes e materiais, enfim, o que sua imaginação mandar!

Espero que tenham gostado!




domingo, 19 de maio de 2013

De volta ao ponto cruz: cartões





Quem já me acompanha há algum tempo sabe que sou como a Lua, tenho fases. Há épocas em que só consigo trabalhar com meus hexies; em outros momentos, estou com vontade de fazer coisas em crochê; noutros, só costuro.

Na origem de tudo, entretanto, está o ponto cruz.

Passo meses sem bordar nada nesta técnica, mas consigo sentir quando a vontade vem voltando por que começo a procurar gráficos e projetos. Não foi diferente dessa vez.

Depois que recebi um lindo cartão da Valérie, com uma girafa em ponto cruz, fiquei com ideia fixa de bordar cartões também, deixá-los prontos para ocasiões especiais. A oportunidade surgiu com a última revista que comprei, com gráficos coloridos, rápidos e muito fáceis.




Esta série, com jeito de primavera, é muito engraçadinha. Gostaram do resultado? Em breve, mostrarei o resultado final, já aplicado ao papel cartão, e como fazer isto.

Boa semana, pessoal!

 

domingo, 12 de maio de 2013

Puzzle # O grande canal de Veneza




Quando minha mãe me pediu que comprasse e montasse um quebra-cabeça de 3.000 peças eu senti um arrepio, velho conhecido...

Quem passa por aqui sabe que amo puzzles, que já montei vários, dos mais diversos níveis de dificuldade. Porém, nunca havia encontrado um desafio como este... Tenho questionado minha capacidade de terminá-lo. Sério. Cada etapa de montagem tem exigido um esforço de concentração enorme!

Além disso, o quebra-cabeça é tão grande que não cabe na minha mesa de 6 lugares! As pecinhas da borda ameaçam cair a qualquer momento, é um drama mantê-lo estável, ainda que eu esteja usando o suporte adequado para a montagem e guarda (já que preciso usar a mesa diariamente para outros fins...).



Você conhece os passos para a montagem?? Não tem segredos, bastam apenas paciência, disciplina e organização.

Passo 1: ao abrir a embalagem, comece separando todas as peças da borda. Não se engane: no caso de ter que verificar todas as 3.000 peças, isso tomará muuuuiiiitoooooo tempo.

Passo 2: já que fará uma primeira triagem, separe as peças de acordo com suas semelhanças (cores, padrões, etc.) em recipientes diferentes. Não se engane: você terá que separar cada conjunto de peças novamente, de modo a permitir um agrupamento mais efetivo.

Passo 3: comece montando a borda. Primeiro, as partes com mais detalhes, que se agruparão naturalmente. Não se engane: as partes sem detalhes poderão ludibriá-lo...

Passo 4: montada a borda, respire fundo e comece montando as partes cujos detalhes são mais evidentes: estruturas, arquiteturas, rostos, etc. É importante que você vá colocando os pequenos blocos montados mais ou menos nos seus lugares.



Passo 5: mantenha a organização e a separação realizada. Nada de misturar as peças!

Passo 6: persista. Quando cansar, dê um tempo para si. Tem momentos que a pecinha está na nossa frente e não conseguimos mais enxergá-la...

Estou usando um rolo de um material aveludado, vendido no Brasil por um fabricante de puzzles, que me permite guardar o que está feito com pouca “desmontagem”, o que é ótimo. Para fixação, após a montagem, tenho usado a cola do mesmo fabricante, com bons resultados.

Quanto tempo vai levar? Não sei... Mas aqui cabe a última e mais valiosa dica: montar quebra-cabeças com os amigos é muito mais divertido e rápido! 

Feliz Dia das Mães!!!!


domingo, 5 de maio de 2013

Patch Apliqué para meninos





Uma amiga encomendou-me algo que acabou tornando-se, na minha opinião, uma boa opção de presentes para bebês recém-nascidos: uma semaninha de panos de prato com temas infantis.

Acho que todo mundo que tem bebê novinho em casa separa seus utensílios, inclusive os panos de prato que serão usados somente para as coisinhas dos pequenos.







Optei pela técnica do patch apliqué e acrescentei alguns detalhes em pontos livres. Esses panos de prato, evidentemente, serão usados de uma maneira mais “leve” que aqueles do dia-a-dia e, por isso mesmo, são um pouco mais trabalhados.

Primeiro, costurei as barras em tecidos nos tons pedidos. Depois, selecionei os desenhos Neste caso, usei a entretela termocolante e não a cola para tecidos, o que acabou sendo uma opção mais rápida (e limpa!).







Por último, o acabamento com os bordados, o que termina sendo a etapa mais demorada e mais divertida.

Gostaram do resultado?


quarta-feira, 1 de maio de 2013

Linhas Escritas # Os Pilares da Terra



 

Quando finalmente comecei a ler esse portentoso volume, em 2008, ele já era um consagrado sucesso mundial, mas ainda não havia sua versão filmada.

Eu fiquei completamente inebriada pela descrição minuciosa da época, dos detalhes que somente os grandes autores conseguem fazer saltar das páginas como flocos de neve que flutuam no ar, estimulando sua imaginação, ao invés de solapá-la.

Tá, eu reconheço: sou parcial, adoro romances históricos.

Mas, convenhamos, a construção de uma catedral demanda muita paixão, sobretudo num tempo em que tudo era feito manualmente. Como pano de fundo, o enriquecimento dos mercadores de lãs, fios e tecidos, com seus métodos de fabricação e tingimento das poucas cores existentes, além das estratégias para o desenvolvimento do comércio das cidadelas. Ah, e tem romance também, claro, para temperar a história. Apaixonante!

“Um mergulho na Inglaterra do século XII e na construção de uma catedral gótica. Emocionante, complexo, pontilhado de coloridos detalhes históricos, Os Pilares da Terra, de Ken Follett, traça o painel de um tempo conturbado, varrido por conspirações, intrincados jogos de poder, violência e surgimento de uma nova ordem social e cultural. O livro, que há mais de 20 anos conquista leitores e já vendeu mais de 18 milhões de exemplares em 30 idiomas.” (texto de divulgação)

Anote minha avaliação: imperdível!

Boas leituras!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...